google.com, pub-5266246096599514, DIRECT, f08c47fec0942fa0

O que é: Orthogonal Array Testing

O que é Orthogonal Array Testing?

O Orthogonal Array Testing (OAT) é uma técnica de teste de software que visa otimizar a cobertura de testes, reduzindo o número total de casos de teste necessários. Essa abordagem é baseada no uso de matrizes ortogonais, que são estruturas matemáticas que permitem a seleção de um conjunto mínimo de casos de teste que cobrem todas as combinações possíveis de valores de entrada.

Como funciona o Orthogonal Array Testing?

Para aplicar o Orthogonal Array Testing, é necessário identificar os fatores que influenciam o comportamento do sistema e seus respectivos níveis. Um fator é uma variável independente que pode afetar o resultado de um teste, enquanto um nível é um valor específico que um fator pode assumir. Por exemplo, em um sistema de reserva de passagens aéreas, os fatores podem ser a cidade de origem, a cidade de destino e a classe de voo, e seus níveis seriam as diferentes cidades e classes disponíveis.

Com base nos fatores e níveis identificados, é criada uma matriz ortogonal que representa todas as combinações possíveis de valores de entrada. Essa matriz é projetada de forma a garantir que cada combinação de níveis seja testada pelo menos uma vez. O número de colunas da matriz é igual ao número de fatores, e o número de linhas é determinado pelo número de combinações necessárias para cobrir todos os níveis.

Vantagens do Orthogonal Array Testing

O Orthogonal Array Testing oferece várias vantagens em relação a outras técnicas de teste. Primeiramente, ele permite uma cobertura de testes mais eficiente, reduzindo o número total de casos de teste necessários. Isso resulta em economia de tempo e recursos, já que menos testes precisam ser executados. Além disso, o OAT ajuda a identificar rapidamente combinações de entrada que podem causar problemas no sistema, permitindo que sejam corrigidos antes do lançamento.

Outra vantagem do Orthogonal Array Testing é a sua capacidade de lidar com sistemas complexos que possuem muitos fatores e níveis. A matriz ortogonal permite que todas as combinações sejam testadas de forma sistemática, garantindo uma cobertura abrangente. Além disso, o OAT é uma técnica baseada em dados, o que significa que as decisões de teste são fundamentadas em informações concretas sobre os fatores e níveis do sistema.

Limitações do Orthogonal Array Testing

Apesar de suas vantagens, o Orthogonal Array Testing também apresenta algumas limitações. Uma delas é que essa técnica não é adequada para todos os tipos de sistemas. Em alguns casos, pode ser necessário realizar testes adicionais além dos casos cobertos pela matriz ortogonal. Além disso, o OAT não leva em consideração a interação entre os fatores, ou seja, não é capaz de identificar problemas que ocorrem apenas quando certas combinações específicas de valores de entrada estão presentes.

Outra limitação do Orthogonal Array Testing é que ele depende da correta identificação dos fatores e níveis do sistema. Se essas informações forem imprecisas ou incompletas, a matriz ortogonal resultante pode não cobrir todas as combinações relevantes. Portanto, é essencial realizar uma análise cuidadosa do sistema antes de aplicar o OAT.

Exemplo de aplicação do Orthogonal Array Testing

Para ilustrar a aplicação do Orthogonal Array Testing, vamos considerar um sistema de cadastro de usuários. Os fatores identificados são o tipo de usuário (administrador, cliente, convidado), o tipo de conta (pessoa física, pessoa jurídica) e a idade do usuário (menor de 18 anos, entre 18 e 65 anos, maior de 65 anos). Cada fator possui dois níveis, exceto o fator idade, que possui três níveis.

Com base nesses fatores e níveis, é criada a matriz ortogonal, que terá seis linhas (2^3) e três colunas (número de fatores). Cada linha representa uma combinação de níveis que será testada. Por exemplo, a primeira linha pode representar um administrador com conta de pessoa física e idade menor de 18 anos.

Conclusão

O Orthogonal Array Testing é uma técnica eficiente para otimizar a cobertura de testes de software. Ao utilizar matrizes ortogonais, é possível selecionar um conjunto mínimo de casos de teste que cobrem todas as combinações possíveis de valores de entrada. Isso resulta em economia de tempo e recursos, além de ajudar a identificar problemas no sistema antes do lançamento. No entanto, é importante considerar as limitações do OAT e realizar uma análise cuidadosa do sistema antes de aplicá-lo.

//whaijoorgoo.com/4/6850264